segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

15 dicas para economizar com o material escolar e proteger o meio ambiente


Janeiro é mês em que muitos pais e mães compram o material escolar solicitado pelas escolas de seus filhos. Encontrar os melhores preços não é tarefa das mais fáceis, pois além de subirem ano a ano, ainda podem variar muito de uma loja para outra. Para economizar, a pesquisa de preços é uma grande aliada. Mas há diversas outras dicas que podem ajudar os pais a gastar menos, além de reduzir o impacto ambiental negativo sobre os recursos naturais utilizados na fabricação de novos materiais a cada ano. Pensando em ajudar os pais nessa missão, o Instituto Akatu, ONG que atua há 15 anos pelo consumo consciente, preparou 15 dicas.

Pesquisar os melhores preços, fazer compras de grande volume em conjunto com os pais de outros alunos ou reutilizar materiais do ano anterior já são práticas comuns por quem quer economizar. “Todos os anos, milhares de pais e alunos compram produtos escolares novos, enquanto, ao mesmo tempo, outros descartam materiais em boas condições ou guardam em casa itens que poderiam ser utilizados por outras pessoas. Promover a troca ou a doação é uma solução que pode beneficiar muita gente. Com isso, mais pessoas podem ter acesso aos materiais sem a necessidade de retirar mais matérias-primas do meio ambiente”, explica Helio Mattar, diretor presidente do Instituto Akatu.

Para o Instituto Akatu, trocar, doar e compartilhar são formas de promover o consumo consciente e a sustentabilidade, além de contribuir para que pais, alunos e professores reflitam sobre o consumo, cidadania, desperdício, utilização de recursos naturais, lixo e meio ambiente.

 Confira as dicas:

 1 – Reaproveite materiais Antes de ir às compras, analise o que dá para reaproveitar do que sobrou do ano anterior. Depois de um olhar atento, você conseguirá diminuir a lista de compra. É verdade que muitas crianças preferem levar material novo no início das aulas, mas esta é uma oportunidade para explicar a elas a importância de não desperdiçar, de consumir de forma consciente e de evitar o impacto no meio ambiente e na sociedade.

• As folhas de cadernos do ano passado que ficaram em branco podem virar um outro caderno novinho, todo customizado: é só retirar as folhas não usadas e fazer um novo caderno com elas, reutilizando a espiral e as mesmas capas do caderno antigo. Se você simplesmente cortar as folhas, pode fazer furos com ajuda de um furador e colocar em uma pasta. Ou, se preferir, pode costurar as folhas com agulha, fazendo um novo bloco;
• Os lápis foram gastos e ficaram curtos? Sem problema! Os lápis grafite e de cor podem usar um “alongador”, também chamado de “extensor” ou “prolongador”, que ajuda a segurar os lápis para usá-los até o fim;
• Canetinhas ou marcadores secos podem receber algumas gotas de álcool de cozinha ou água e, muitas vezes, voltar a funcionar;
• Converse com outros pais para verificar se não há algum material usado por outro aluno que possa ser emprestado, doado ou revendido;
• Você também pode procurar livros usados em um sebo.

 2 – Preserve os materiais Cuidar dos materiais ao longo do ano é fundamental para estender ao máximo a sua vida útil e, assim, poder usá-los nos anos seguintes. Também é importante não desperdiçá-los, usando apenas o necessário, sem excessos.
 • Para evitar o ressecamento, tampe bem as colas bastão, as colas líquidas e as canetas;
• Encape os cadernos para que suas capas fiquem protegidas e que eles durem até que todas as suas folhas tenham sido usadas;
• Encape as pastas e reforce os vincos nas dobras com fita adesiva para que elas não desmontem ou rasguem, durando o ano letivo;
• Preserve o compasso num estojo rígido ou na própria embalagem para evitar que ele entorte ou perca a ponta da agulha;
• Transporte as réguas dentro dos cadernos, pastas ou livros de maneira que elas fiquem mais protegidas e não se quebrem dentro da mochila.

3 – Escolha os produtos com critério. É importante usar critérios de avaliação para escolher os produtos, de modo a ter um material adequado e que dure o ano inteiro ou até mais anos, se possível. 
• Pesquise e se informe sobre a qualidade dos produtos. A qualidade inferior pode fazer com que o material seja mais barato, mas dure menos, sendo necessário comprar outro antes do final do ano, o que pode sair mais caro;
• Evite comprar material muito sofisticado ou com o personagem infantil da moda já que a moda muda e o importante é que o material possa atender às necessidades dos estudantes pelo maior período possível;
• Verifique se a matéria-prima usada no material é renovável e dê preferência a produtos feitos com essas matérias-primas ou com material reciclado pós-consumo. Assim você ajuda a diminuir os impactos negativos no meio ambiente;
• Observe se o produto é atóxico e se possui o selo do Inmetro para garantir a saúde e a segurança das crianças;
• Busque informações sobre os fabricantes para ter certeza que cuidam bem de seus funcionários, da comunidade e do meio ambiente.


Reprodução de conteúdo livre desde que sejam publicados os créditos do Instituto Akatu e site www.akatu.org.br. Saiba mais em www.akatu.org.br/DireitosAutorais

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Escola realiza devolutiva do projeto Mata Atlântica

Este projeto mostrou para a turma do 4° ano da Emeb Frei Bernadino a importância de conhecer a Mata Atlântica de nossa região, seus ecossistemas e toda sua biodiversidade para aprender a valorizar esse admirável patrimônio, essencial para a vida de todos, juntamente com a professora Lúcia H.M. Goss.

O objetivo era garantir uma prática educativa que desenvolva novos valores em relação à forma como vemos, sentimos e vivemos no meio ambiente, contribuindo na resolução de problemas atuais e na prevenção de problemas futuros;

Conscientizar as crianças sobre a importância do meio ambiente e como o homem está inserido neste meio.

Atividades

Inicialmente a professora pergunta aos alunos o que é FAUNA e FLORA, fala sobre algumas espécies da nossa fauna, ameaçados de extinção como: bugio, paca, jaguatirica, leão baio, etc e da flora: araucária, butiá da serra, cedro rosa, bromélia, xaxim, etc.
Os alunos registram no caderno, respondem atividades sugeridas no jornal fornecido pelas formadoras a respeito do assunto. 
Em outro momento, fazem uma atividade sensorial utilizando vendas e varal de cheiros (9 cheiros): Reconhecer e identificar os cheiros. Aguçar os sentidos.
Em outro momento, perguntas como quais elementos são necessários para a vida? A resposta esperada é: água, oxigênio, a professora conclui: carbono, hidrogênio, nitrogênio que passam através de ciclos biogeoquímicos que mantêm a sua pureza e a sua disponibilidade para os seres vivos. E depois de uma longa conversa surge a ideia de se construir um filtro de água. 
É imprescindível que os alunos compreendam a importância de se assegurar a qualidade e uso correto desta substância imprescindível à vida.
A prof. explica que nos ecossistemas, os organismos e o ambiente interagem promovendo trocas de materiais e energia através de cadeias alimentares, qualquer interferência positiva ou negativa poderá ser sentida por todos e conta que 
Estima-se que exista em nosso país 75 mil espécies de plantas, 44,711 foram identificadas, só 4,617 foram avaliadas e destas, 2,118 estão em risco de extinção. 
O projeto envolve além de geografia e ciências outras disciplinas. 
Para conhecermos um pouco mais sobre as plantas os alunos selecionam algumas para a construção de um herbário, com nome popular da planta, nome cientifico e para que serve.
Isso acontece em parceria com a prof. de letramento digital.
Na matemática construção de gráficos, resolução de situações problemas relacionados ao assunto.
Em português: leitura, uso de dicionário para identificar palavras desconhecidas, caça-palavras...
Nosso projeto finaliza com a apresentação dos trabalhos para as outras turmas.


De forma simples, todos aprendem um pouco sobre nossa fauna, nossa flora. Estarão a partir de agora mais motivados e sensibilizados sobre a importância do meio ambiente e a relação do homem com ele.








quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Oficina discutirá a preservação da Mata Atlântica


A Secretaria do Meio Ambiente e Serviços Públicos convida a imprensa e interessados no tema para participar da oficina “Mapa Falado”, que faz parte da elaboração do Plano Municipal de Preservação da Mata Atlântica. A oficina acontecerá nesta quinta-feira (24), às 14h, no Centro Ambiental Ida Schmidt (Tanque). O encontro e contará com a presença de lideranças e técnicos da área, e será mediada pela ONG Apremavi - Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida.

Esse evento tem o objetivo de discutir ideias e metas para a preservação do bioma da Mata Atlântica, que hoje é um dos mais afetados pela degradação e que sofre com a pressão do crescente aumento das cidades e da poluição que põem em risco as tentativas de preservá-la.

Serviço:

- O que: oficina sobre a preservação da Mata Atlântica
- Data: quinta-feira (24)
- Local: Centro Ambiental Ida Schmidt (Tanque)
- Horário: 14h

Fonte: Comunicação - Prefeitura de Lages

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Leonardo DiCaprio lança documentário “Before the Flood” sobre mudanças climáticas

Em Hollywood, o ator americano Leonardo DiCaprio é um dos principais ambientalistas e ativistas na luta para combater as mudanças climáticas. Em 2014, foi nomeado pelas Nações Unidas como Embaixador pela Paz e desde 1998, a fundação que criou e leva seu nome financia projetos ao redor do mundo para a proteção e conservação do meio ambiente, animais, direitos indígenas e também, que desenvolvam soluções inovadoras contra o aquecimento global.


Agora a nova empreeitada de DiCaprio é o lançamento do documentário Before the Flood (Seremos História?, na versão para o português). Durante três anos, o ator viajou por cinco continentes e foi até o Ártico para ver de perto os efeitos das mudanças climáticas sobre o planeta. Conversou com cientistas, ambientalistas e líderes globais, entre eles, o presidente dos Estados Unidos Barack Obama, o secretário-geral da ONU Ban Ki-moon, o empresário Elon Musk e o Papa Francisco.
Apesar do aquecimento global ser um problema que já é conhecido há muitas décadas, ainda hoje, políticos negam que ele existe e que o ser humano seja responsável por causá-lo, apesar de fatos científicos terem comprovado que nunca antes o homem e seu modo de vida jogaram tanto dióxido de carbono (o CO2, gás de efeito estufa) na atmosfera da superfície da Terra. A consequência é que este e outros gases demoram séculos para se dissipar e acabam assim, elevando a temperatura no planeta, com graves efeitos sobre todos nós.

Para DiCaprio, que fez discursos inesquecíveis na sede da ONU, em Nova York, e até quando recebeu o Oscar, este ano, as mudanças climáticas são o desafio mais importante da humanidade atualmente.

O objetivo de Leonardo DiCaprio, que foi produtor do documentário, dirigido por Fisher Stevens, em parceria com a National Geographic (e produção executiva de Martin Scorsese), é que o filme possa ser visto pelo maior número de pessoas ao redor do mundo. “Precisamos que todos cobrem ações mais efetivas de seus líderes políticos e elejam representantes realmente comprometidos, não com o interesse de perpetuar a ganância e a destruição feitas pelas grandes corporações”, afirma DiCaprio. “Este documentário mostra não somente como o destino da humanidade está todo conectado, mas como temos o poder, como indivíduos, de construir um futuro melhor para o nosso planeta”.

Before the Flood poderá ser assistido gratuitamente, a partir de domingo, 30/10, via streaming na internet. A exibição será feita para 171 países, em 45 línguas diferentes. O documentário está disponível na National Geographic Channel e também em outras plataformas como Youtube, Facebook, Google Play, XboxOne, Twitter e aqui, no Conexão Planeta .

Assista abaixo na integra:


sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Confira as escolas premiadas na categoria Troféu

Hoje é um dia de muitas novidades! 
As escolas contempladas com o Selo deste ano já eram conhecidas. 
Porém agora vamos conhecer as escolas contempladas com o Troféu Escola Protetora do Meio Ambiente 2016. São elas:

- Escola de Educação Freinet;
- EMEB Hermínio Pinheiro Júnior;
- EMEB Nicanor Rodrigues Goulart;
- EMEB Nossa Senhora da Penha;
- EMEB Profª Belizária Rodrigues.


A premiação de ambas as categorias, Selo e troféu acontecerá dia 17 de outubro - 15h30 no Teatro Marajoara. 

Quem deve comparecer? Dê preferência, direção, professor coordenador, e a turma que participou mais ativamente do projeto. 
(lembrando que o transporte é por conta da escola). 

As escolas que desejarem apresentar como foi o desenvolvimento do Projeto durante o ano, terão 10 minutos e a forma de apresentação podem definir.
Devem também responder este e-mail dizendo que tem interesse na apresentação.  


Favor confirmar a presença pelo e-mail: caraha@institutojpb.org.br ou telefone 3221 3377 até 13/10. 

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A ENGIE participará do Evento European Utility Week, vote!

A ENGIE participará do Evento European Utility Week, que acontecerá entre os dias 15 e 17 de novembro em Barcelona, na Espanha.

Durante o evento, será entregue o Prêmio European Industry Award. O Prêmio é um reconhecimento a indivíduos e projetos que apresentaram comprometimento e conquistas em prol de um setor energético sustentável.

Dois projetos da ENGIE estão concorrendo este ano, um deles da BU Brasil. O Projeto de Compostagem desenvolvido em Lages/SC .
 

- Projeto da BU Brasil: Composting Biomass Ashes (categoria Melhor Projeto Internacional): https://www.engerati.com/eua/best-international-project/composting-using-biomass-ashes-helping-city-recycle-its-organic-waste

Veja como votar:

Passo 1:

Entrar no link: http://bit.ly/2dwAcYr
Clicar na parte vermelha - Login or register to vote


Passo 2:

Clicar em Create new account




Passo 3:
Preencher o formulário e no final clicar em "Create new account"

Passo 4:
Depois é só abrir o link novamente: http://bit.ly/2dwAcYr e clicar em "Vote"

Vai aparecer a mensagem: Vote Submmited

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Projeto Mata Atlântica promove atividades com professores municipais



Na semana do Dia da Árvore, foi realizada a segunda etapa da formação com professores da rede municipal. Eles conheceram várias atividades práticas que podem ser desenvolvidas em sala de aula sobre o tema.


No mês de agosto foi dado início ao projeto de educação ambiental sobre a conservação da Mata Atlântica. Esse projeto está sendo desenvolvido pela Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos e conta com o apoio do Instituto José Paschoal Baggio, por meio do programa Carahá de Cara Nova, e Secretaria Municipal de Educação, além de ser patrocinado pela Polícia Militar Ambiental e Conselho Municipal do Meio Ambiente.

O projeto tem como objetivo desenvolver, juntamente com professores da rede pública municipal, estratégias para trabalhar em sala de aula e a campo a temática da conservação da Mata Atlântica.
Na semana do Dia da Árvore, foi realizada a segunda etapa da formação com professores do ensino fundamental, da disciplina de Ciências, da rede municipal. Na oportunidade, eles conheceram várias atividades práticas que podem ser desenvolvidas em sala de aula sobre o tema.

A formação de professores contempla a primeira etapa do projeto, que será finalizada em novembro com uma devolutiva de trabalhos práticos realizados nas escolas. Nessa primeira etapa cerca de 90 professores participaram e receberam kits de materiais didáticos para trabalhar em sala de aula, como cartilha e pen drive com vários materiais e vídeos disponíveis.


A segunda etapa será realizada com os alunos, onde eles participarão de atividades de educação ambiental e trilha ecológica no Parque Natural, sob orientação da bióloga da Secretaria do Meio Ambiente, Michelle Pelozato.