quinta-feira, 13 de abril de 2017

Entendendo a Mata Atlântica


Para se começar a falar em Mata Atlântica é preciso antes entender o contexto geral.

A palavra bioma vem de bios = vida e oma=grupo ou massa, ou seja, bioma nada mais é que um conjunto de vida. O Brasil é formado por 6 biomas diferentes Amâzonia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal. Cada um deles abriga um tipo de vegetação e de fauna.

Os biomas brasileiros





terça-feira, 11 de abril de 2017

Concurso fotográfico visa valorizar a Mata Atlântica da região

Valorizar as belezas naturais presentes na Mata Atlântica local, este é o objetivo do concurso fotográfico realizado pela Prefeitura de Lages em parceria com o IJPB.

Até 03 de maio estão abertas as inscrições para os diversos públicos: categoria amador e profissional. Serão premiadas as 03 melhores fotografias de cada categoria e os valores variam de R$ 2.500,00 a R$ 400,00.

Muitas pessoas não sabem, mas Lages está totalmente inserida dentro do bioma Mata Atlântica, caracterizado pela Araucária, e o concurso também vêm como forma de mostrar isso a comunidade. Para mais informações sobre o tema, semanalmente estaremos divulgando textos aqui no blog do programa Carahá de Cara Nova. 


quarta-feira, 29 de março de 2017

Participe do "Passeio Universitário"


Como forma de mudar uma área destinada a estacionamento, a Associação Comunitária Passeio Universitário foi instituída a fim de tornar esse espaço público, com práticas de atividades voltadas a sustentabilidade ambiental e social, como horta comunitária urbana, espaço agroflorestal, mini jardim botânico, labirinto, espaço terapêutico entre outros.

Assim no dia 29 de março às 14h será o lançamento do Projeto “Passeio Universitário”, onde o Instituto José Paschoal Baggio será parceiro com oficinas de Educação Ambiental. Toda a comunidade lageana está convidada. 

Participe!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

15 dicas para economizar com o material escolar e proteger o meio ambiente


Janeiro é mês em que muitos pais e mães compram o material escolar solicitado pelas escolas de seus filhos. Encontrar os melhores preços não é tarefa das mais fáceis, pois além de subirem ano a ano, ainda podem variar muito de uma loja para outra. Para economizar, a pesquisa de preços é uma grande aliada. Mas há diversas outras dicas que podem ajudar os pais a gastar menos, além de reduzir o impacto ambiental negativo sobre os recursos naturais utilizados na fabricação de novos materiais a cada ano. Pensando em ajudar os pais nessa missão, o Instituto Akatu, ONG que atua há 15 anos pelo consumo consciente, preparou 15 dicas.

Pesquisar os melhores preços, fazer compras de grande volume em conjunto com os pais de outros alunos ou reutilizar materiais do ano anterior já são práticas comuns por quem quer economizar. “Todos os anos, milhares de pais e alunos compram produtos escolares novos, enquanto, ao mesmo tempo, outros descartam materiais em boas condições ou guardam em casa itens que poderiam ser utilizados por outras pessoas. Promover a troca ou a doação é uma solução que pode beneficiar muita gente. Com isso, mais pessoas podem ter acesso aos materiais sem a necessidade de retirar mais matérias-primas do meio ambiente”, explica Helio Mattar, diretor presidente do Instituto Akatu.

Para o Instituto Akatu, trocar, doar e compartilhar são formas de promover o consumo consciente e a sustentabilidade, além de contribuir para que pais, alunos e professores reflitam sobre o consumo, cidadania, desperdício, utilização de recursos naturais, lixo e meio ambiente.

 Confira as dicas:

 1 – Reaproveite materiais Antes de ir às compras, analise o que dá para reaproveitar do que sobrou do ano anterior. Depois de um olhar atento, você conseguirá diminuir a lista de compra. É verdade que muitas crianças preferem levar material novo no início das aulas, mas esta é uma oportunidade para explicar a elas a importância de não desperdiçar, de consumir de forma consciente e de evitar o impacto no meio ambiente e na sociedade.

• As folhas de cadernos do ano passado que ficaram em branco podem virar um outro caderno novinho, todo customizado: é só retirar as folhas não usadas e fazer um novo caderno com elas, reutilizando a espiral e as mesmas capas do caderno antigo. Se você simplesmente cortar as folhas, pode fazer furos com ajuda de um furador e colocar em uma pasta. Ou, se preferir, pode costurar as folhas com agulha, fazendo um novo bloco;
• Os lápis foram gastos e ficaram curtos? Sem problema! Os lápis grafite e de cor podem usar um “alongador”, também chamado de “extensor” ou “prolongador”, que ajuda a segurar os lápis para usá-los até o fim;
• Canetinhas ou marcadores secos podem receber algumas gotas de álcool de cozinha ou água e, muitas vezes, voltar a funcionar;
• Converse com outros pais para verificar se não há algum material usado por outro aluno que possa ser emprestado, doado ou revendido;
• Você também pode procurar livros usados em um sebo.

 2 – Preserve os materiais Cuidar dos materiais ao longo do ano é fundamental para estender ao máximo a sua vida útil e, assim, poder usá-los nos anos seguintes. Também é importante não desperdiçá-los, usando apenas o necessário, sem excessos.
 • Para evitar o ressecamento, tampe bem as colas bastão, as colas líquidas e as canetas;
• Encape os cadernos para que suas capas fiquem protegidas e que eles durem até que todas as suas folhas tenham sido usadas;
• Encape as pastas e reforce os vincos nas dobras com fita adesiva para que elas não desmontem ou rasguem, durando o ano letivo;
• Preserve o compasso num estojo rígido ou na própria embalagem para evitar que ele entorte ou perca a ponta da agulha;
• Transporte as réguas dentro dos cadernos, pastas ou livros de maneira que elas fiquem mais protegidas e não se quebrem dentro da mochila.

3 – Escolha os produtos com critério. É importante usar critérios de avaliação para escolher os produtos, de modo a ter um material adequado e que dure o ano inteiro ou até mais anos, se possível. 
• Pesquise e se informe sobre a qualidade dos produtos. A qualidade inferior pode fazer com que o material seja mais barato, mas dure menos, sendo necessário comprar outro antes do final do ano, o que pode sair mais caro;
• Evite comprar material muito sofisticado ou com o personagem infantil da moda já que a moda muda e o importante é que o material possa atender às necessidades dos estudantes pelo maior período possível;
• Verifique se a matéria-prima usada no material é renovável e dê preferência a produtos feitos com essas matérias-primas ou com material reciclado pós-consumo. Assim você ajuda a diminuir os impactos negativos no meio ambiente;
• Observe se o produto é atóxico e se possui o selo do Inmetro para garantir a saúde e a segurança das crianças;
• Busque informações sobre os fabricantes para ter certeza que cuidam bem de seus funcionários, da comunidade e do meio ambiente.


Reprodução de conteúdo livre desde que sejam publicados os créditos do Instituto Akatu e site www.akatu.org.br. Saiba mais em www.akatu.org.br/DireitosAutorais

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Escola realiza devolutiva do projeto Mata Atlântica

Este projeto mostrou para a turma do 4° ano da Emeb Frei Bernadino a importância de conhecer a Mata Atlântica de nossa região, seus ecossistemas e toda sua biodiversidade para aprender a valorizar esse admirável patrimônio, essencial para a vida de todos, juntamente com a professora Lúcia H.M. Goss.

O objetivo era garantir uma prática educativa que desenvolva novos valores em relação à forma como vemos, sentimos e vivemos no meio ambiente, contribuindo na resolução de problemas atuais e na prevenção de problemas futuros;

Conscientizar as crianças sobre a importância do meio ambiente e como o homem está inserido neste meio.

Atividades

Inicialmente a professora pergunta aos alunos o que é FAUNA e FLORA, fala sobre algumas espécies da nossa fauna, ameaçados de extinção como: bugio, paca, jaguatirica, leão baio, etc e da flora: araucária, butiá da serra, cedro rosa, bromélia, xaxim, etc.
Os alunos registram no caderno, respondem atividades sugeridas no jornal fornecido pelas formadoras a respeito do assunto. 
Em outro momento, fazem uma atividade sensorial utilizando vendas e varal de cheiros (9 cheiros): Reconhecer e identificar os cheiros. Aguçar os sentidos.
Em outro momento, perguntas como quais elementos são necessários para a vida? A resposta esperada é: água, oxigênio, a professora conclui: carbono, hidrogênio, nitrogênio que passam através de ciclos biogeoquímicos que mantêm a sua pureza e a sua disponibilidade para os seres vivos. E depois de uma longa conversa surge a ideia de se construir um filtro de água. 
É imprescindível que os alunos compreendam a importância de se assegurar a qualidade e uso correto desta substância imprescindível à vida.
A prof. explica que nos ecossistemas, os organismos e o ambiente interagem promovendo trocas de materiais e energia através de cadeias alimentares, qualquer interferência positiva ou negativa poderá ser sentida por todos e conta que 
Estima-se que exista em nosso país 75 mil espécies de plantas, 44,711 foram identificadas, só 4,617 foram avaliadas e destas, 2,118 estão em risco de extinção. 
O projeto envolve além de geografia e ciências outras disciplinas. 
Para conhecermos um pouco mais sobre as plantas os alunos selecionam algumas para a construção de um herbário, com nome popular da planta, nome cientifico e para que serve.
Isso acontece em parceria com a prof. de letramento digital.
Na matemática construção de gráficos, resolução de situações problemas relacionados ao assunto.
Em português: leitura, uso de dicionário para identificar palavras desconhecidas, caça-palavras...
Nosso projeto finaliza com a apresentação dos trabalhos para as outras turmas.


De forma simples, todos aprendem um pouco sobre nossa fauna, nossa flora. Estarão a partir de agora mais motivados e sensibilizados sobre a importância do meio ambiente e a relação do homem com ele.